Show de Abrão Castro semeia o amor

Por Carlos Bozzo Junior
O compositor, cantor e violonista Abrão Castro (Foto: Carlos Bozzo Junior)

Acontece amanhã (25), no Ao Vivo Music, em Moema, São Paulo, o show Lua Morena do violonista, cantor e compositor paulista Abrão Castro, 59. Além de contar com a presença de Fábio Canela (bateria), Sidão (contrabaixo) e Will Ribeiro (piano), o espetáculo terá ainda algumas participações especiais, entre elas, a da cantora e compositora Simone Brown, que integra o Show dos Famosos, quadro do Domingão do Faustão, na rede Globo.

O Música em Letras esteve no hotel onde reside Castro, entrevistou e gravou o artista cantando duas músicas que estão no repertório do show de amanhã. (Assista aos vídeos no final do texto)

Abrão Castro nasceu em Itupeva, interior de São Paulo, e veio para São Paulo com 12 anos. Uma enchente na região em que a família morava fez com que seu pai, agricultor e pastor evangélico, perdesse toda a lavoura que havia plantado. “Arroz, feijão, batata, morango, alface e milho, ficou tudo submerso e tivemos que nos mudar”, contou o músico que um ano após ter se mudado começou a estudar trompete.

O pai, as duas irmãs e a mãe de Castro cantavam com o jovem trompetista na igreja em que frequentavam. Aos 14 anos, passou a compor músicas gospel, e até os 18 anos o trompete foi seu principal instrumento. Mas foi aos 13 que Castro se apaixonou por um violão, presente dado ao pai.

“Eu e minhas irmãs demos para meu pai um violão, porque ele tocava quando era solteiro. Na verdade, demos o instrumento para ele, mas eu é que queria aprender. Ele não gostou do presente e não quis que eu aprendesse, com medo que eu deixasse a igreja. Hoje, abandonei o trompete, toco violão, mas não abandonei Deus, como meu pai achava que eu faria.”

O músico aprendeu o instrumento vendo outros tocarem, enquanto conciliava seus estudos no SENAI, onde aprendeu o ofício de ajustador ferramenteiro. Mais tarde, com 19 anos, ingressou na Escola Municipal de Música, na Vila Mariana, onde permaneceu por dois anos aprendendo, entre outras disciplinas, história da música, contraponto e harmonia.

Trabalhando durante o dia como ferramenteiro e à noite, como músico, em 1978 optou por se manter apenas por meio da música. “Tocava não só gospel, mas também em bares, bailes e festas”, contou o violonista cujo repertório na ocasião incluía Roberto Carlos, Maria Bethânia, Chico Buarque, Edu Lobo e Tom Jobim (1927-1984).

Castro passou a integrar o grupo Terra e com ele realizou inúmeros shows na capital paulista. “Nos apresentamos em várias unidades do Sesc e em muitos bares. Em 1980, fui para Salvador, onde também me apresentei. Depois, voltei para São Paulo e me estabeleci tocando no Berimbau, um bar na avenida Ibirapuera, antes de tocar no Vinícius Bar, na mesma avenida. Só nesses lugares trabalhei durante uns oito anos”, falou o artista que apresentava uma seleção de MPB, acompanhado por contrabaixo, percussão e, às vezes, um instrumento de sopro.

Abrão Castro (Foto: Carlos Bozzo Junior)

Dessa época a maior lição que o músico aprendeu foi : “Você não pode levar em consideração um elogio após a pessoa ter tomado dois copos de uísque. Você aceita o elogio pela amizade e carinho que a pessoa te dá, mas não se pode tirar isso como parâmetro para gabaritar o próprio trabalho”.

Embora composições não lhe faltem- são mais de 50-, discos nunca gravou. Por quê? “Em 1981, visitei algumas gravadoras para ouvir propostas de assinatura de contratos. Entre elas, estive na EMI e na CBS, mas queria gravar minhas músicas, que não eram comerciais. Eram muito rebuscadas em letra e harmonia, contrárias às propostas que me ofereciam. Por isso, nunca gravei”, disse o músico que não se arrepende e pretende ainda lançar um disco nos seus moldes.

No repertório do show – cerca de 20 músicas- , “Lua Morena”, composta com Reinaldo Bastos; “Altivez”, com Irineu Marinho; e “Ainda estou aqui”, parceria do músico, com Renata Fausti, além de conhecidas como “Antes que seja tarde”, de Ivan Lins e Vitor Martins.

A cantora Simone Brown, sobrinha de Abrão Castro, participa cantando “You Are So Beautiful”, de Dennis Wilson, Bruce Fisher e Billy Preston. “Nessa música, toco guitarra”, falou o músico que, no show de amanhã conta também com a participação da cantora Victoria Kuhl, participante da primeira edição do talent show X Factor Brasil, levado ao ar em 2016 pela Bandeirantes, com o nome artístico VKiller. A moça interpreta “Love on Brian”, de Rihanna. Outra participação no show é a do cantor Johnnie Herbert, filho da atriz Eva Wilma.

Segundo o artista, a intenção do show é falar um pouco de amor e unir forças. “Quero demonstrar, através de algumas músicas, que precisamos nos unir e semear o amor para conseguirmos superar essa turbulência que estamos passando no país.”

 

SHOW LUA MORENA

ARTISTA Abrão Castro
QUANDO Amanhã (25), às 21h30
ONDE Ao Vivo Music, r. Inhambu, 229, Moema, São Paulo, tel. 11 5052 0072
QUANTO R$ 30