A música em letras de Carlos Henry

Por Carlos Bozzo Junior
O compositor e escritor Carlos Henry (Foto: Carlos Bozzo Junior)

Acontece amanhã (18), no bar Reserva Pinheiros, às 20h, em São Paulo, o lançamento do livro “Por trás do sorriso, os dentes”, do compositor manauara Carlos Henry Levy Sandoval, 66.

O Música em Letras esteve na tradicional casa de café Canelinha, no centro de São Paulo, onde entrevistou e gravou (veja vídeo no final do texto) o autor do livro que reúne 30 contos, alguns deles tendo a música como mote.

Segundo Henry, médico, compositor, poeta e escritor, o evento será “uma noite literomusical”, pois um show será realizado, em meio a autógrafos, com a presença dos músicos Sérgio Bello (baixo) e Sérgio Máquina (percussão) que acompanharão o autor.

“Poeta não sei bem se sou, mas faço todas as letras de minhas músicas. Algumas faço letra e música e, quando tenho parceiro, sou responsável pelas letras. Sou um versejador”, disse o letrista que tem como parceiros Elton Medeiros, Eduardo Gudin e Celso Viáfora, entre outros.

A experiência abarcada por Henry com relação à escrita sempre foi paralela à música. O escritor, nos anos 1980, foi colaborador do extinto jornal “O Pasquim”, semanário editado entre junho de 1969 e novembro de 1991. Depois, publicou seus contos na revista “Novos Estudos Cebrap”, periódico multidisciplinar de ciências humanas, literatura e artes, consolidada no panorama intelectual brasileiro.

Composições do letrista venceram vários festivais de música popular brasileira que participou.

Carlos Henry, autor do livro “Por trás do sorriso, os dentes” (Foto: Carlos Bozzo Junior)

Toda essa bagagem lhe rendeu três livros publicados. O primeiro, também de contos, é “Até a Primeira Estrela” (1991), publicado pela Sigla Editora, atualmente esgotado.

O segundo livro, “Comprimidos sem Contraindicações – Apenas Leves Efeitos Colaterais” (1998), com histórias reunidas em textos curtos, máximas e aforismos, foi publicado inicialmente pela editora Escrituras, mas mudou de casa. Foi para a editora Europa, e em sua terceira edição vendeu mais de 18 mil exemplares.

O terceiro livro, “A Palavra Acesa” (2013), saiu pela editora Europa e foi escrito pelo autor no mesmo molde do livro anterior.

Capa do livro “Por trás do sorriso, os dentes”, de Carlos Henry (Foto: Carlos Bozzo Junior)

“Por trás do sorriso, os dentes”, o quarto livro de Henry, reúne contos premiados em concursos literários promovidos pela extinta editora Brasiliense, Associação Médica Brasileira e pela Academia Nacional de Medicina.

“Diversificados, muitos desses meus contos abordam a música pelo fato de eu sempre ter convivido muito com essa arte”, disse o autor referindo-se, entre outros, a “O Último Beijo, Cristiana” e o homônimo ao título, “Por Trás do Sorriso, os Dentes”.

O primeiro conto retrata um garoto de 11 anos apaixonado por uma pianista. O segundo, traz à luz um estudante de medicina que por não ter muitos atributos físicos buscou recursos para aprender a tocar violão e assim se dar bem na vida.

Carlos Henry, parceiro de Elton Medeiros e Eduardo Gudin, entre outros compositores (Foto: Carlos Bozzo Junior)

AUTÓGRAFOS MUSICAIS

Entre as músicas que farão parte do show de lançamento do novo livro de Henry está “Minha Boiada”, uma toada composta com o sambista Elton Medeiros. Mas por que o sambista fez uma toada? “Há muito tempo, mostrei para o Elton Medeiros algumas composições minhas e ele disse que iria me mandar uma música para sermos parceiros. Achei que fosse conversa, mas um mês depois ele mandou a música”, disse o compositor revelando a real origem de seu parceiro, que passava por carioca, nascido no bairro da Glória. Segundo Henry, Elton Medeiros- autor das carioquíssimas “O Sol Nascerá”, em parceria com Cartola (1908-1980), e “Madrugada”, com Zé Keti (1921-1999)- confidenciou-lhe que é mineiro.

“Disse para o Elton Medeiros, pelo telefone, que havia recebido a música, mas havia estranhado, pois o considerava um dos maiores sambistas vivos. Assim, esperava ser parceiro dele em um samba, nunca em uma toada com o nome de ‘Minha Boiada’. Além do mais, o contato mais íntimo que eu havia tido com boi tinha sido em churrascaria. Foi aí que ele me falou: ‘É uma toada mesmo. Ninguém sabe, mas eu sou mineiro. Vim para o Rio de Janeiro com 5 anos de idade. Agora, quero a ‘Minha Boiada’.”

Com o violonista Eduardo Gudin, Henry tem três músicas, todas sambas: “Isso de Amor”, “De Passagem” e “Gelo Fino e Marfim”, que devem ser apresentadas no show entre outras de seus quatro discos.

O primeiro disco de Henry, de 1976, é um compacto duplo com as duas músicas vencedoras do festival FEMPUP (Festival de Música e Poesia Universitária do Pará), “Bagagem” e “Frevo de 4 Folhas”, além de “Que se Quebre” e “Choro”. A bolachinha saiu pelo selo Erla.

O segundo é um disco de vinil, “Gerações”, de 1981, que depois foi relançado em CD, com dez faixas divididas entre choros, valsas e sambas.

O terceiro disco é o CD “Anjo Torto”, de 2001, com 13 faixas, entre elas a homônima gravada com as vozes do MPB 4, e a toada “Minha Boiada”, dele e do mineiro Elton Medeiros, com a bela voz da cantora Maria Martha.

O quarto registro fonográfico de Henry é o CD “Olho Mágico”, de 2015, com 11 faixas arranjadas pelos músicos Laércio de Freitas e Nailor “Proveta” Azevedo, além de Sergio Bello, que também assina a direção musical da bolacha. Nela figuram rumba, samba, choro e valsa.

Essa é uma boa oportunidade para conhecer o que escreve quem tem a música em letras.

Assista ao vídeo, no qual o compositor canta, com exclusividade para o Música em Letras, um trecho de “Minha Boiada”, dele e de Elton Medeiros.

POR TRÁS DO SORRISO, OS DENTES
AUTOR Carlos Henry
QUANDO Quinta-feira (18), às 20h
ONDE Reserva Pinheiros, r. dos Pinheiros,754, Pinheiros, São Paulo, tel (11) 3062 – 7113
EDITORA Independente
QUANTO R$ 35 o livro, o show é gratuito