Premio Grão é insumo para MPB

Por Carlos Bozzo Junior
(Fotomontagem :Carlos Bozzo Junior)
(Fotomontagem: Carlos Bozzo Junior)

Acontece dia 26 de novembro, na sala Olido, no Centro de São Paulo, a cerimônia de entrega do 3º Prêmio Grão de Música. Um show gratuito, com três dos 15 artistas premiados dessa terceira edição (veja lista no final), faz parte do evento. São eles: o compositor Alisson Menezes, de Vitória da Conquista; o compositor pernambucano, Geraldo Maia, e as compositoras Anna Paes e Iara Ferreira que vivem no Rio de Janeiro.

No show, os artistas serão acompanhados por uma banda formada por instrumentistas de São Paulo: Clara Bastos (baixo acústico), Ana Eliza Colomar (flauta e sax), Cássia Maria (percussão) e Álvaro Couto (acordeon).

O Música em Letras conversou por e-mail com a idealizadora do prêmio, a cantora e compositora paraibana Socorro Lira, 42, que não se apresentará na ocasião. “Não, canto não. Só participo da organização e produção. E escuto (risos)”, disse ela.

Uma pena, pois o DVD e CD “Amazônia-Entre Águas e Desertos”, da artista, gravado no Auditório Ibirapuera em 2014, registram, além de sua bela voz, um comprometimento forte com a MPB, sempre bonito de se ver e de se ouvir.

O PRÊMIO

Anualmente, o prêmio Grão reúne artistas pouco conhecidos da cena nacional para valorizar e promover o gênero canção em todas as regiões do país.

O resultado pode e deve ser conferido por meio da excelente coletânea, disponibilizada gratuitamente em http://premiograodemusica.com.br/coletaneas/

Ouvindo-a com atenção, fica clara a intenção do prêmio em valorizar e divulgar compositores e intérpretes da música brasileira de diferentes gerações, cuja criação poética e musical contempla as características e sotaques locais, regionais e nacionais.

Perguntada sobre qual a importância desse prêmio, Lira, que nasceu em Brejo da Cruz, cidade da Paraíba, respondeu que ele é importante pelo que se propõe a fazer, e tem feito, no sentido de identificar, promover e referendar obras e trajetórias artísticas nem sempre divulgadas ou vistas pela crítica especializada. Assim como pela energia criativa que reúne. “O prêmio Grão nasceu do desejo e da necessidade de se criar meios para essa música encontrar os ouvidos de quem a quer. Agora, será preciso tempo para ver se cumprirá seus propósitos e se será, por isto, reconhecido”, disse a idealizadora do prêmio que conta com identidade visual (troféu, logotipo e capas do CD e DVD) criada pelo artista Elifas Andreato.

(Fotomontagem :Carlos Bozzo Junior)
(Fotomontagem: Carlos Bozzo Junior)

BRASIL OUVIDO DE DENTRO

Lira comentou sobre o que é mais importante na escolha de um artista a ser premiado. “O olhar está voltado para o que expressa mais profundamente o jeito de ser e viver das pessoas, do povo simples, nos lugares onde vivem; para a cultura de cada canto, a fim de enfatizar o que contribui para o desenvolvimento humano. Arte como atributo da vida e identidade.” Para ela, há quem chame essa música de regional. “Pode ser: regional do Rio de Janeiro, de São Paulo, de Pernambuco ou do Rio Grande do Sul. Penso que é preciso olhar e ver esses valores nem sempre notados. O país precisa de consistência, o mundo precisa disso”, completa.

Quantos aos três artistas que se apresentam na cerimônia de entrega, Lira descreveu as características e a razão pela qual os três abocanharam o prêmio deste ano. “Geraldo Maia, Alisson Menezes, Anna Paes e Irara Ferreira compõem, cantam, tocam e empreendem suas próprias carreiras fazendo conexões, inventando novas formas de conceber a atual cena musical. Esses artistas, cada qual a seu modo, dão sequência à canção brasileira. Em todo lugar tem alguém cantando uma moda, uma cantiga, uma canção, não importa como chamemos essa cantoria.”

Lira acrescenta que o prêmio pretende ampliar o olhar sobre esse Brasil de dentro; sobre mestres e mestras, como as Lavadeiras de Almenara, da região do Jequitinhonha (MG), e também sobre jovens artistas que promovem suas obras a partir do lugar onde nasceram ou vivem. “Dessa vez, teremos Pernambuco, Bahia e Rio de Janeiro no palco, mas, naturalmente, poderia ser qualquer um dos premiados e premiadas.”

MÚSICAS DO SHOW

Entre as músicas a serem apresentadas estão garantidas, por Alisson Menezes,“Saudade Boa”, dele e Verlando Gomes; “Lugar comum” e “Se você for”, ambas do premiado; de Geraldo Maia, “Avia”, dele e Juliano Holanda; “Mudez” e “Heliticicando”, as duas de Geraldo Maia e Marco Polo; por Anna Paes e Iara Ferreira, “Se eu pedir tu me dá”, “Miragem de Inaê” e “Choro de Madrinha”, todas da dupla.

Lira alerta quem for assistir ao show: “Vão ouvir artistas de grande sensibilidade, vozes maravilhosas, canções com poesia vestidas de lindos arranjos e instrumentistas de excelente nível.”

Uma excelente oportunidade para ouvir parte de um elenco muito bem selecionado por um prêmio que, a cada ano, reforça seu papel de importante insumo para a MPB.

LISTA DAS CANÇÕES DA COLETÂNEA DO PRÊMIO GRÃO DE MÚSICA 2016

01. “Cantiga Pra Ninar Meu Namorado”, de Carlos Nasser e Elias Jabur, com Renata Jambeiro
02.“Chora Cavaquinho”, de Ceumar e Sérgio Pererê, com Ceumar
03. “Choro de Madrinha”, de Iara Ferreira e Anna Paes, com Iara Ferreira e Anna Paes
04. “Cidoidania”, de Iso Fischer e Etel Frota, com Tao do Trio
05. “Helioiticicando”, de Geraldo Maia e Marco Polo, com Geraldo Maia
06. “Samba Rezadeiro”, de Gabi Buarque e Roberto Didio, com Nina Wirtti
07. “Noite Sem Dia”, de Guego Favetti e Cláudio Ribeiro, com Trio D Favetti
08. “Amor de Mar”, de Esther Aguilar e Dudu Costa, com Banda Matilda
09. “Ai”, de Tata Fernandes e Kléber Albuquerque, com Rubi
10. “Tonta Saudade”, de Eugênio Leandro, com Eugênio Leandro
11. “Se Você For”, de Alisson Menezes, com Alisson Menezes
12. “Sua Presença Querida”, de Jaime Alem, com Jaime Alem e participação especial de Nair Cândia
13. “Tropeiros de Borborema”, de Rosil Cavalcanti, com Chico Salles
14.” Ponteira”, de Sergio Habibe, com Glad Azevedo
15. “Chora Mãe Gerona | Aldeia Real”, de Carlos Farias e As Lavadeiras, com Carlos Farias e As Lavadeiras

SHOW DO PRÊMIO GRÃO DE MÚSICA 2016
QUANDO Dia 26 de novembro, sábado, às 19h
ONDE Sala Olido. Av. São João, 473, Centro, São Paulo, tel. (11) 3331-8399
QUANTO Gratuito