Loja musicalmente correta

Por Carlos Bozzo Junior
Mozart e piano forte criados pela DoReMiFa Shop (Foto:Carlos Bozzo Junior)
Mozart e piano forte criados pela DoReMiFa Shop (Foto:Carlos Bozzo Junior)

Descobri esta loja virtual apanhando um marcador de livros na calçada de uma rua do bairro do Alto de Pinheiros, em São Paulo. Era um daqueles dias de “casamento de viúva”, de sol e chuva. Repleto de claves de fá, de sol e notas musicais, o marcador estava esbagaçado pela ação da água da chuva e do sol. Sacudi a molenga tira de papel e a embolsei, tomando antes o cuidado de envolvê-la em uma folha arrancada de meu bloco de notas.

Como para mim nada é por acaso, especialmente quando o tema envolve música, resolvi ir atrás. Dias depois, consegui decifrar um endereço impresso no marcador e acessei pela internet www.doremifashop.com.br . Surpreendi-me com o que achei. Uma loja com material didático gratuito para imprimir cartazes, brinquedos de papel e acessórios curiosos. Tudo relacionado a minha fiel companheira, a música.

Pelo site da loja consegui o contato. Em conversa por telefone, expliquei minha intenção e marquei uma entrevista para o Música em Letras, com Rosana Lopes, 42, proprietária da loja DoReMiFa Shop.

Em um modesto escritório, fui atendido por dois músicos e um designer. Todos paulistanos, sócios e idealizadores da loja. Rosana Lopes é pianista e professora de teoria da música, com especialização em educação musical, formada pela USP (Universidade de São Paulo) em 1998. Seu marido, Diogo Cardoso, 39, é guitarrista e violonista formado na ULM (Universidade Livre de Música) em 1997. Acostumado a tocar em teatros, atuou em “Hair”, “Fame, o Musical”, “Alô Dolly” e atualmente ataca em “Cazuza- Pro Dia Nascer Feliz, o Musical”, além de dar aulas de guitarra. Fernando Vianna, 45, é designer, formado em administração pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) em 1996. Com pós-graduação no Senac (Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial) realizada em 2000, trabalha com identidade visual há 20 anos.

A LOJA E SEUS PRODUTOS

A loja difere da maioria que comercializa produtos relacionados à música por duas razões. A primeira por apresentar produtos que passaram por uma peneira fina, onde o critério de avaliação visa comercializar apenas o que é correto pedagogicamente, em termos de códigos musicais (notas, claves, pautas, entre outros) e sonoridade, além do apelo visual. “Nós sempre olhamos para ver se tem uma colcheia ao contrário ou um sustenido faltando uma perna”, falou Lopes.

Verdade. Na DoReMiFa Shop há uma sessão de papelaria com réguas, lápis e lapiseiras (com teclados de piano, clave de sol), fita adesiva (com notas musicais), clipes (em formato de colcheia ou semicolcheia) para prender papéis, partituras ou marcar páginas de livros. Tudo grafado certinho. Os clipes também aparecem em formato de guitarra, trompete, violoncelo, clave de sol, além de pen drives no formato de violoncelo e guitarra. “Tentamos sempre fugir do piano e do violão tão comuns no mercado”, disse Lopes.

No site há uma sessão com incentivos. “São produtos que podem ser dados de presentes para os alunos ou para quem aprecia música”, acrescentou Lopes, mostrando pulseiras de silicone com teclado de piano, além de outra de metal com claves de sol. Entre os itens, cerca de 50, há um piano de montar (tipo Lego) com 150 peças. O mimo vem com uma banqueta e um tampo, chamados assim por quem é do ramo – e não de “banquinho” ou “tampa” usualmente dito por leigos. Nos itens curiosos, destaca-se a miniatura de uma guitarra Flying V (aquela de corpo estiloso utilizada pelo guitarrista Rudolf Schenker, da banda de hard rock alemã Scorpions) que funciona como um ralador de queijo.

Visando atender à prática do professor de música há instrumentos selecionados não só pelo visual, mas também pelo som. Entre eles, uma linha de chocalhos em formato de bichos (rinoceronte, girafa e elefante) e quatro sapos de madeira, com tamanhos distintos, que produzem, por esta razão, timbres diferentes. Os batráquios podem ser utilizados em sonorização de histórias ao retirar-se uma pequena baqueta de suas bocas e raspá-la em seus dorsos. Com um apelo visual muito grande, a loja virtual vende também um tambor em formato de pirulito, além dos “Boomwhackers”, tubos coloridos afinados, em tamanhos variados, para produzirem sons com notas diferentes. Tudo com qualidade sonora testada. Há, por exemplo, uma flauta translúcida cor de rosa que é de fato um instrumento. “Esta é bem diferente daquelas encontradas em lojas de R$1, que são apenas brinquedos e nunca afinam”, explicou Cardoso.

O segundo diferencial da loja está na seção chamada Atividades, onde se pode baixar material didático e lúdico gratuito para serem impressos. Entre eles, um pandeiro para colorir, onde o aluno exercita a equivalência das notas com as cores, formando assim um desenho. Um aviso de porta, alertando que existe uma aula em andamento e uma linha de cartazes para serem fixados nas salas de aula decifrando uma partitura, tratando de elementos do código musical. “Muito aluno pensa que sustenido é ‘hashtag’. Este tipo de material ajuda a eliminar o equívoco”, disse Lopes.

Outra atividade bem legal que você pode baixar pelo site da loja é um “paper toy” (brinquedo de papel), no caso uma reprodução da figura de Mozart, com um piano forte. É só imprimir, recortar, dobrar e colar. “Este item existe na versão preto e branco e na colorida”, explicou Vianna, idealizador do brinquedo, prometendo novos personagens.

NA GRINGA

Nos Estados Unidos, quem faz tudo isso e mais um pouco ao comercializar material e produtos para professores e amantes da música é a Music in Motion. Confira em www.musicmotion.com . Mas atenção! Você tem de ter cartão de crédito internacional, pagar impostos sobre o produto importado e esperar um tempão para que ele chegue em suas mãos.

Que tal dar uma força aos brazucas, que além de tudo estão fechando parceria com alguns artesãos brasileiros para construírem instrumentos de madeira, em escala reduzida, visando facilitar a portabilidade para quem leciona. “Este é um de nossos projetos ao criar a loja: viabilizar a produção nacional para o Brasil e para o mundo”, concluiu Vianna.

Da esquerda para direita Fernando Vianna, Rosana Lopes e Diogo Cardoso (Foto:Carlos Bozzo Junior)
Da esquerda para direita Fernando Vianna, Rosana Lopes e Diogo Cardoso (Foto:Carlos Bozzo Junior)